John Lennon

John Lennon

  • 11 Outubro, 2021
  • radiomun
  • 0 comentário(s)
Paul McCartney relembrou o conturbado fim dos Beatles durante uma entrevista à série This Cultural Life da BBC Radio. Mesmo depois de 50 anos, muitos fãs da banda ainda questionam quem foi o culpado pela separação.

No entanto, McCartney afirmou que foi John Lennon quem quis dissolver os Beatles. “Eu não instiguei a separação. Quem fez isso foi o nosso Johnny”, disse (via BBC News).

Paul continuou: “John entrou na sala um dia e disse ‘estou deixando os Beatles’. Segundo ele, esse foi o “período mais difícil de minha vida”. “Essa era minha banda, meu trabalho, minha vida. Eu queria continuar”.

O músico de 79 anos acredita que o grupo teria continuado se Lennon não tivesse saído. “Eu achava que estávamos fazendo coisas muito boas. ‘Abbey Road’, ‘Let It Be’, nada mau”.

“John estava construindo uma nova vida com Yoko [Ono] e queria ficar deitado na cama por uma semana em Amsterdã pela paz. Você não poderia contestar isso”, recordou.

Paul declarou que a confusão sobre o rompimento dos Beatles aumentou porque o novo empresário da banda, Allen Klein – com quem ele se recusou a se aliar – disse que precisava manter o rompimento em segredo para acertar as pontas soltas de seus negócios.

“Então, por alguns meses, tivemos que fingir”, disse. “Foi estranho porque todos nós sabíamos que era o fim dos Beatles, mas não podíamos simplesmente ir embora”.

McCartney acabou processando o resto da banda, buscando a dissolução de sua relação contratual a fim de manter sua música fora das mãos de Klein. “Eu tinha que lutar e a única maneira era processando os outros Beatles, porque eles estavam com Klein. E eles me agradeceram anos depois. Mas eu não instiguei a separação”.

0 comentário(s)

Seu nome:
Seu comentário: